Sobre a Dengue

A dengue é uma doença que afeta todo o Brasil e ataca muitas pessoas, veja aqui mais informações sobre essa doença infecciosa.

Sobre a Dengue

A dengue é uma doença muito conhecida aqui no Brasil, devido ao alto número de mortes que causa todos os anos, principalmente no rio de janeiro, como dados atuais nos mostram, é uma doença infecciosa e febril aguda e o seu agente causador é um vírus da família Flaviridae, esse tipo de vírus se instala em um agente transmissor que no caso da dengue é o mosquito Aedes aegypti como muita gente já ouviu falar. Infelizmente a dengue é uma das doenças que mais preocupa a saúde pública do nosso país e é considerada pelo Ministério da Saúde um dos principais problemas que envolvem a saúde pública, não só aqui no Brasil, mas também em vários países espalhados pelo mundo todo. A dengue é dividida em quatro subtipos da doença, devido ao fato de o agente causador, o vírus, possuir quatro variações soro típicas, que são DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Muitos pensam que a dengue é uma doença moderna, mas pelo contrário, existem no Brasil desde os tempos em que éramos colônia de Portugal, chegou ao Brasil através da vinda dos mosquitos Aedes aegypti nos navios negreiros utilizados pelo movimento do tráfico de escravos. Seus ovos eram depositados nas embarcações, que continham grandes depósitos de água parada.

O primeiro caso de dengue que possui registros ocorreu no ano de 1685 na cidade de Recife em Pernambuco, estima-se que em 1692 a dengue tenha provocado mais de duas mil mortes em Salvador na Bahia e que um novo surto tenha ocorrido no ano de 1792. A doença surdiu no Rio de Janeiro em 1846 durante um grande surto que tornou o mosquito Aedes aegypti popular e conhecido também em São Paulo e em Salvador, a doença chegou a São Paulo durante os anos de 1851, 1853 e também em 1916 a partir de graves epidemias. O primeiro programa de combate ao mosquito transmissor da doença foi criado no ano de 1903 por Oswaldo Cruz que na época era o Diretor Geral da Saúde Pública, ele implantou um programa de combate que foi bastante eficaz e em 1957 anunciou-se a erradicação da doença no Brasil, apesar de que casos teriam sido registrados até o ano de 1982, quando uma grande epidemia começou em Roraima. Nos anos seguintes muitas epidemias ocorreram no nosso país e os estados do Rio de Janeiro e São Paulo são sem dúvidas os mais atingidos, estima-se que em 1998 tenham sido registrados 570.148 casos e em 1999 foram registrados no Brasil cerca de 204.210. Houve uma queda nos seguintes anos, mas em 2006 o número de casos atingiu proporções assustadoras, segundo os dados do Ministério da Saúde, entre os meses de janeiro e setembro foram registrados 279.241 casos da doença, um crescimento gigantesco com cerca de 26,3% de aumento se for comparado ao mesmo período do ano anterior. Em 2008 outra epidemia começou no Rio de Janeiro e causou 100 mortes e 125 mil pessoas infectadas com a doença somente na cidade do Rio, a variação mais perigosa da dengue é a dengue hemorrágica e é a principal causa de mortes de crianças em países da Ásia Tropical, nas Américas ela surgiu em Cuba, no ano de 1981.

No Brasil já ocorreram casos dos quatro tipos da doença, inclusive o vírus tipo quatro não era registrado no Brasil há muito tempo, cerca de 28 anos, porém no ano de 2010 foi identificado em estados como o Amazonas e também em Roraima. A dengue tipo 4 apresenta um grande risco as pessoas se já estiverem contaminadas com os vírus 1, 2 ou 3, pois esses infectados se tornam praticamente vulneráveis a manifestação da nova doença, a manifestação do novo vírus pode desenvolver a manifestação da dengue hemorrágica, que é o caso mais grave da doença. A dengue pode se apresentar em quadros clínicos, de quatro maneiras diferentes, que são infecção não aparente, dengue clássica, febre hemorrágica da dengue e também síndrome de choque da dengue, os mais conhecidos e comuns são a dengue clássica e a febre hemorrágica da dengue. Os sintomas das quatro variações são os seguintes:

*Infecção não aparente: A pessoa que é infectada pelo vírus não desenvolve nenhum sintoma da doença, que inclusive em suma maioria, não apresenta muitos sintomas, a estimação é que de cada dez pessoas que são infectadas pelo vírus, apenas duas ficam doentes.
*Dengue Clássica: Essa é uma variação da doença que é considerada mais leve e seus sintomas e características são bastante semelhantes a uma gripe, os sintomas começam de uma hora para a outra, instantaneamente e geralmente dura entre cinco e sete dias, a pessoa quando é infectada começa a ter uma febre muito alta, que chega aos 40ºC, seguida de dores de cabeça, muito cansaço seguido de dor muscular e também nas articulações, começa a se sentir muito indisposta e só fica na cama, tem muito enjoos, vômitos e manchas vermelhas começam a aparecer na pele, a dor abdominal também é constante e pode apresentar outros sintomas.
*Dengue Hemorrágica: a dengue nessa variação pode se tornar muito grave e tem as características de alterações em toda a parte de coagulação sanguínea da pessoa que está infectada, em seu começo apresenta os mesmos sintomas da Dengue Clássica, mas depois do terceiro ou quarto dia de infecção e evolução da doença no organismo da pessoa, ela começa a ter várias hemorragias, que ocorrem devido a sangramentos de alguns vasos na pele e também nos órgãos internos, as hemorragias provocadas pela dengue podem acontecer no nariz, nas gengivas, na urina, no estômago e intestino e também no útero. Essa variação causa muita preocupação e assim que os sintomas de febre acabarem ocorre uma queda de pressão, o que pode causar tonturas, quedas e moleza, deve ser tratada com grande rapidez para que não chegue a um estado fatal.
*Choque da Dengue: Essa variação, apesar de a dengue hemorrágica ser muito grave, ainda se tornou a variação mais séria da dengue, os infectados por esse vírus têm uma grande queda ou até mesmo a ausência da pressão arterial, a pessoa começa a ter uma pulsação quase nula e imperceptível, fica bastante inquieta e com uma aparência de palidez profunda, assim como a perda da consciência. O grande problema é que esse tipo de variação pode trazer vários tipos de complicações, como problemas cardiorrespiratórios, insuficiência do fígado, alterações neurológicas e hemorragia digestiva, o mais grave é o derrame pleural. A pessoa se caracteriza por ter manifestações de delírio, depressão, grande sonolência, irritabilidade, psicose, amnésia, paralisias, assim como sinais de meningite, demência e também pode chegar a entrar em estado de coma. A doença deve ser tratada muito rapidamente, pois pode levar à morte.

Como podemos observar, o vírus da dengue pode se apresentar de quatro formas totalmente diferentes, desde a forma não aparente, onde a pessoa não é afetada e pode não ter nenhum sintoma até quadros de hemorragia constante e demência, levando ao choque e até mesmo ao óbito em poucos dias. As suspeitas da dengue devem ser bem averiguadas e o paciente deverá imediatamente se locomover até o posto de atendimento médico para fazer os exames e ficar se necessário internado sobre cuidados médicos, vale lembrar que a doença pode durar até sete dias e os sintomas mais identificados são as fortes dores de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, prostração, dores nas juntas, vermelhidão no corpo e vontade de não sair da cama, sem forças para se locomover. A dengue hemorrágica possui alguns sinais que são de fácil identificação da doença, a dor abdominal torna-se intensa e sem intervalos de alívio, os vômitos são persistentes e nada consegue parar no estômago do infectado, há uma grande agitação ou até mesmo letargia, o pulso se torna rápido e fraco, as extremidades ficam frias, podem ocorrer hepatomegalia dolorosa, derrames cavitários e cianose, sangramentos, lipotimia, aumento da hipertensão arterial, sudorese profusa, aumento repentino do hematócrito, hipotensão postural, diminuição da diurese e também a melhora do quadro febril acontece rapidamente até o 5º dia de manifestação da doença, há também casos de taquicardia quando a pessoa manifesta a dengue hemorrágica.

Depois de saber sobre todos os sintomas e manifestações da doença, o mais importante de tudo é praticar a prevenção intensiva, para que mais mortes não sejam causadas por essa doença que entra em epidemia com forte rapidez, a ação mais simples que podemos fazer para a prevenção da dengue, é evitar que o mosquito se reproduza, para que novos mosquitos não tenham seu nascimento concluído, infelizmente não existem ainda vacinas ou medicamentos que consigam combater a contaminação pelo vírus da doença, por isso é preciso verificar em sua casa e conversar com seus vizinhos para que eliminem todos os lugares onde o mosquito pode fazer a sua reprodução, existem regras básicas que todos já ouvimos falar e conhecemos como não deixar água parada em qualquer tipo de recipiente, em maior escala a água limpa, que é onde o mosquito mais deposita as suas larvas, para desenvolvimento, a proliferação do mosquito Aedes aegypti é muito rápida e por isso é necessário uma verificação diária e compromisso com a prevenção, existem muitas iniciativas governamentais, como os fiscais da dengue que passam de casa em casa verificando, mas a ação individual de cada um é muito importante para que a prevenção aconteça de forma eficácia. Estima-se que em apenas 45 dias de vida, um único mosquito do Aedes aegypti consegue contaminar cerca de 300 pessoas.

Se você não tem ideia de como retirar a água parada, é muito simples, basta manter os recipientes como caixas d’água, tambores, tanques, cisternas, barris ou qualquer coisa que esteja ao ar livre e tenha possibilidade de acumular água, totalmente fechados, para que nenhum mosquito consiga ter acesso, e também tomar muito cuidado com objetos como vidros, potes, vasos de plantas principalmente, garrafas que são deixadas nos quintais, pneus, panelas, as calhas do telhado, bandejas, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, também nos cemitérios nas urnas, folhas de plantas ou qualquer objeto que possa acumular água, esses objetos e coisas devem ser revistados e retirada toda água parada que possa se acumular, inclusive em locais onde a água da chuva é coletada ou armazenada, como baldes e cisternas. O ovo do mosquito Aedes aegypti consegue sobreviver até 450 dias, mesmo que onde o ovo foi depositado seja um local totalmente seco, ou seja, mais de um ano esperando a água parada para poder se desenvolver, logo que o local recebe a água novamente, o ovo se torna ativo e consegue se desenvolver até a fase adulta em cerca somente de 2 a 3 dias. É muito rápido seu desenvolvimento e a água deve ser totalmente eliminada, juntamente com a limpeza dos recipientes com água e sabão.

Recentemente, pesquisadores de como eliminar as larvas e os mosquitos da dengue da Universidade Paulista (Unesp) na cidade de São José do Rio Preto em São Paulo, conseguiram descobrir que a cafeína é fatal para o desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti, isso foi uma descoberta excelente e no estudo que fizeram, os pesquisadores conseguiram ter a certeza de que quanto maior a concentração do elemento cafeína misturado com a água que ficava parada em vasos de plantas e também em ralos, menor era o tempo de vida que as larvas aguentavam sobreviver, os cientistas afirmaram que a taxa de mortalidade registrada foi nada mais nada menos do que 100% e nenhuma das larvas conseguiu se desenvolver até a fase de transformação em mosquito. A borra de café também trouxe resultados muito bons e semelhantes, os pesquisadores colocaram no laboratório, quatro colheres de sopa em uma solução de borra de café e assim conseguiram bloquear totalmente o desenvolvimento das larvas que estavam instaladas em um volume de água de aproximadamente um copo. Isso pode ser utilizado em algumas situações de epidemia, pois atualmente o que mais é utilizado é o método onde se coloca inseticida, apesar disso não funcionar muito bem, pois a maioria dos inseticidas que encontramos são tóxicos e os mosquitos com o tempo, começaram a adquirir certa resistência a esses inseticidas. A borra de café poderia ser utilizada como um inseticida que fosse natural e também não faria nenhum mal para os seres humanos, pois não possui nenhuma propriedade tóxica em sua composição.

Outros produtos também são recomendados para o não desenvolvimentos dos mosquitos em água parada, como a água sanitária e o sal de cozinha, mas apesar disso, não podem ser colocados em plantas, pois podem danifica-las e acabar com o seu crescimento e a vida, a borra seria uma boa oportunidade, pois além de tudo seria um inseticida sem custo nenhum, por ser produzido diariamente em quase todas as residências, na hora de fazer o café da manhã ou o tradicional cafezinho, inclusive as pesquisas com as plantas verificaram que não faria mal nenhum a vida e desenvolvimentos das mesmas se a borra for jogada sobre os solos das plantas. Para colocar a borra de café no solo não importa a quantidade, o importante é que ela não seja diluída em água antes da aplicação, o processo que ocorre é muito simples, a larva fica intoxicada quando ingere os extratos como a cafeína da borra de café, e a quantidade independe, deve ser apenas relacionada com a quantidade de água parada no recipiente e a borra pode ser reposta a cada sete dias, que a proteção estará garantida.

21/11/08 por Fabiano

   

Mais informações por email

Comentar