Como Funcionam os Anticoncepcionais?

Como funciona os anticoncepcionais

Primeiramente, precisamos entender alguns conceitos básicos do nosso sistema endócrino, pois é ele que trabalhar no funcionamento do controle relacionado à reprodução. A Hipófise é uma parte do sistema nervoso localizada abaixo do cérebro, e está ligada ao Hipotálamo. É dividida em duas partes, sendo elas a anterior (chamada de adenoipófise) e a posterior (neuroipófise). Essa glândula é importante devido à produção de certos hormônios que são responsáveis pelo ciclo menstrual da mulher.

                       

Os hormônios que participam do controle endócrino são os Hipofisários (hormônio folículo estimulante e luteinizante) no qual, como o nome já diz, são produzidas pela Hipófise; e os Ovarianos (estrógeno e progesterona), pelo Ovário. A maioria dos anticoncepcionais são compostos dos hormônios ovarianos. Porém, alguns já são feitos apenas de progesterona, sendo muito melhor para as mulheres que podem, com a permissão de um médico ginecologista, ingeri-los normalmente, pois o estrógeno é o hormônio que causa todos aqueles problemas da “TPM” como a dor de cabeça, cólicas e irritação, portanto, a ausência deste não irá influenciar negativamente se a dosagem for controlada apenas com a progesterona.
Como Funcionam os Anticoncepcionais
O lado anterior da hipófise manda o FSH (hormônio folículo estimulante) ao Ovário no início do ciclo menstrual, assim aumenta a quantidade de estrógeno que mandará a mensagem para a hipófise não produzir mais FSH, assim, a glândula começa a produzir o LH (hormônio luteinizante) que fará com que a célula, no qual se tornará o óvulo, amadureça e seja liberada do ovário, e então, após a conclusão desse processo, a progesterona inibe a hipófise para cessar o envio do LH. Esse é o procedimento que o organismo realiza para que o ciclo menstrual ocorra.

A função dos anticoncepcionais é inibir a função da hipófise para não produzir o hormônio folículo estimulante e o hormônio luteinizante, que por consequência não serão enviados ao ovário e não permitirá que o ovócito (futuramente óvulo) amadureça e saia do ovário em direção ao útero, e sem a liberação dessa célula, não tem como acontecer a fecundação mesmo que os espermatozóides sejam introduzidos. Por isso as pílulas anticoncepcionais são compostas por progesterona e estrógeno. É importante lembrar que a pílula do dia seguinte é um método abortivo e não contraceptivo, sendo assim, o seu efeito no organismo é diferente deste relatado.

Nenhum voto, seja o primeiro



Fabiano
07/10/10


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook